23 Responses to Alegoria da Caverna e Flatland – qual a relação? (esta é mais difícil …)

  1. Tanto na “Alegoria da Caverna” como no vídeo “Flatland” as personagens estão aprisionadas num mundo a que foram ensinadas a acreditar ser a realidade mas não é. Os homens da caverna nunca sequer pensaram que poderia haver algo no exterior da caverna, tal como as personagens do vídeo não percebem como poderá haver mais dimensões para além das que conhecem. Na Alegoria e no vídeo dois personagens são forçados a ver a realidade e a sair do mundo que conhecem. Quando o fazem sentem medo, angústia e espanto mas conseguem perceber que afinal nada era como pensavam.

  2. Existem vários pontos em comum entre a Alegoria da Caverna e a Terra Plana (Flatland), apesar de também haver dissemelhanças.
    Na alegoria da caverna há um grupo de prisioneiros que sempre viveram da mesma forma, virados para uma parede com umas correntes no pescoço, que viam umas imagens que nunca lhes passou pela cabeça que não eram reais. Neste filme, o pequeno círculo vivia no mundo da ignorância, a duas dimensões, que nunca lhe passou pela cabeça que havia muito mais do que o seu mísero e pequeno mundo.
    Tal como na alegoria da caverna, em que um dos prisioneiros foi ajudado a sair da caverna, para descobrir mais além (para ver a verdadeira realidade), neste filme o círculo também foi, só que em vez de doer-lhe os olhos, o círculo não sentiu nenhuma dor, e a pouco e pouco vão conhecendo a realidade.
    Quando o prisioneiro, que se soltou, ficou mais ou menos mentalizado do que era realmente a verdadeira realidade, o Sol, ficou admiradíssimo, tal como ocorre com o círculo, mas para ele a verdadeira realidade era o espantoso e grandioso mundo em três dimensões que não tinha nada a ver com o seu mundo.
    A mais básica das comparações é que em ambos, tal como na alegoria da caverna como no filme, o prisioneiro e o círculo ficaram libertados da reminiscência até ao mundo dos sábios, o Mundo Inteligível.

    • Muito Bem Jorge! Só dois reparos:
      1 – a verdadeira realidade não é apenas o Sol, que representa a Ideia do Bem, mas sim todas as Ideias …
      2 – segundo Platão é através da reminiscência que o homem progride no seu conhecimento. A alma habita o Mundo das Ideias antes de encarnar o corpo e através dos objectos sensíveis vai se recordando do que outrora contemplou. Por isso, não me parece que o termo esteja bem empregue aqui “libertados da reminiscência” …

  3. Tal como na “Alegoria da caverna”, no vídeo “Flatland” as personagens estão aprisionadas ao senso comum.. ao conhecimento básico. Vivem aprisionadas num mundo onde são formatadas, e ai daquele que questione ou duvide o que é dito. Para além disso, têm medo de pensar que possa existir um mundo para além daquele que eles conhecem, rendendo-se ao básico. Como o Dr. Quantum diz: “you have to become it to know”, ou seja, nós temos de nos transformar, de nos libertar de todos os preconceitos e formatações e atingir a realidade, pois essa é uma sensação que só se conhece ao vivê-la, não se explica. Tal como o prisioneiro da “Alegoria da Caverna”, que tem a coragem de enfrentar um mundo que para ele é assustador, também a personagem do vídeo ‘’Flatland’’ tem coragem para enfrentar o desconhecido. Ao ver que afinal, existe um mundo para além daquele que ela conhece, atinge o espanto, alcançando a Noésis que é a Filosofia. Assim, tal como acontece na “Alegoria da Caverna”, a personagem do vídeo que percorre o caminho para a realidade (dialética ascendente) simboliza o filósofo.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>